Eu Gosto de JÓgos #79 – Evolução nos Jogos

egj79

Eu gosto de JÓÓÓÓÓGOS e evolução, mas não necessariamente falando de pokémon! Antes de qualquer coisa, queremos deixar bem claro que esse podcast não fala sobre jogos antigos que envelheceram bem,  se quiser ouvir sobre esse assunto, ouça novamente o podcast #59 que trata exatamente desse assunto. Nesse episódio, Ninja Inimigo, Ilapso, Mestre Splinter e Senhoooor da Eternidade convidaram HGK Solid e Débs (em sua versão “Anunciante do Prezunic”) para falar de como os games mudaram ao longo dos anos assim como a própria necessidade dos jogadores se modificou durante o tempo. Estilo dos jogos, gráficos, controles, etc, etc, etc.

Depois de ouvir essa bagaça seja um ouvinte moderno e participe da malha social que permeia o podcast favorito de vocês (caso seja esse, senão foda-se). Queremos saber a sua opinião sobre esse assunto. Você está contente com o rumo que a indústria de games está tomando ou está se afogando em nostalgia? Comente abaixo, siga o Twitter @baixofrentesoco, dê um joinha no Facebook e envie sugestões, críticas e POOORRRRRADARIAS para eugostodejogos@baixofrentesoco.com.

Download: Clique Aqui! (Duração: 93 minutos)

Ou ouça por aqui mesmo:

Play

Assine o Podcast no iTunes – comofas/

 

Acompanhe o que foi comentado??? Nenhum link dessa vez!!!

Na falta de um, segue um elogiando HALO: http://www.youtube.com/watch?v=bOqaZ8KBYA0&feature=related

PROMOSSAUM BAIXOFRENTESOCO SORTEIA JOGOS PRA GALERA!
O BaixoFrenteSoco vai este mês sortear dois jogos para os ouvintes do Eu Gosto de Jógos: Bastion, Action-RPG indie de 2011 que já vendeu meio milhão de cópias e vencedor do Game Critics Award da E3, e mais um que o vencedor poderá escolher entre The Binding of Isaac, Braid, Limbo e Super Meat Boy. Todos os jogos são na plataforma Steam. Se você não tem um usuário no Steam, crie que é DIGRÁTIS.
Agora: COMOFAS PRA GANHAR?!
É muito simples siga o nosso Twitter@baixofrentesoco e/ou dê um CURTIR no nosso Facebook. Depois, nos dê uma twittada ou poste no nosso moral respondendo à pergunta “Como os videogames podem impedir o fim do mundo em 2012?”.
Vale tudo, envolver personagens, jogos, sugerir como seria a sua versão do fim do mundo, etc! SEJA CRIATIVO!
Quem participar pelo Twitter pode fazer várias twittadas consecutivas, não precisa se limitar aos 140 caracteres! Só não se esqueça de sempre colocar @baixofrentesoco antes da mensagem; E também não precisa se limitar a palavras! Vale imagem, vale tudo. Mas SEJA ORIGINAL. ORIGINAL, PORRA!

Você pode deixar um comentário, ou trackback do seu próprio site.

17 Comentários to “Eu Gosto de JÓgos #79 – Evolução nos Jogos”

  1. Rograwe says:

    Aeee!!! Eu gosto de JOOOOOOGOSSS!!

    Agora que não vou acabar meus trabalhos mesmo, heheheh

  2. NeoConker says:

    Baixando no Virtua só pegou só 140k… Alguem mais com lentidão pra baixar?

  3. CorsoThrash says:

    Aeee grande ep galeriam!!!

    Acho que sei lá, antigamente o simples conseguia nos divertir mais, me diverti mais jogando Ronaldinho Soccer 97 (o ISSS Deluxe só que com a narração castelhana e os times do brasileiro) do que jamais me divertirei com o PES ou o FIFA 2012 (aquela merda!!!)…mas talvez isso tenha a ver com o fato que quando somos crianças, um graveto e uma pedra são uber divertidos euheuheuhe.

    PS: Que viagem essa voz da Débs ae, aqui nos mercados (RS) não costumo prestar atenção se há anunciantes e se hão como são euheuhe.

  4. @letrar says:

    A evolução dos jogos do ponto de vista técnico é óbvia, basta olhar, ou ouvir qualquer jogo produzido mais recentemente pra reparar que os gráficos e os sons estão muito melhores.

    Quando paramos pra pensar, também percebemos que toda a parte de gameplay e de narrativa dos jogos também evoluiu muito, até porque não teria como não evoluir.

    Evolução pode ser considerado como o resultado de vários ciclos de tentativa e erro, onde novas características surgem e outras não sobrevivem ao tempo.

    O que vemos hoje é que várias características dos jogos mais antigos desapareceram, como os inventários muito limitados, progressão de personagem lenta ou não existente, npc's que repetem sempre uma única frase de diálogo, viagem extremamente lenta pelo mundo.

    Ao mesmo tempo, muitas coisas surgem e se tornam padrão em seu gênero, como visão por cima do ombro e sistemas de cobertura nos 3rd person shooters, árvores de diálogo em rpg's, hud's inteligentes nos fps, física precisa nos jogos de corrida (e em quase todos os outros) e por ai vai.

    A questão de que os jogos de hoje são "covardes" no quesito inovação, é muito complicada, por que o investimento e os custos de produção de um jogo são muito maiores do que os de alguns anos atrás.

    Atualmente, quem paga por esses jogos geralmente são investidores, que precisam ser convencidos de que haverá o retorno esperado.

    Então não é simplesmente uma questão de "ter coragem", e sim da enorme responsabilidade de decidir como gastar milhões de dólares de outras pessoas que confiaram em você, assim como fazer promessas e concessões para convencê-los disso.

    É por isso que a inovação é muito mais forte no segmento indie, onde os orçamentos e riscos são muito menores, e normalmente não existe compromisso financeiro com grandes investidores, garantindo uma liberdade criativa muito maior.

    Sem falar que numa equipe pequena é muito mais fácil de uma boa idéia sobreviver, imagine o que acontece quando um programador de uma equipe de 200 pessoas tem uma idéia legal que os game designers não tinham pensado, existe uma chance muito grande daquela idéia se perder até chegar na pessoa que poderia viabilizar sua implementação.

    Quanto a narrativa também fica óbvio o quanto as coisas mudaram, os jogos estão cada vez mais se preocupando com aspectos que só cabiam ao cinema, e cada vez mais coisas que só eram possíveis com pré-renderização estão sendo feitas em tempo real. A inovação aqui é constante e progride na mesma medida em que as barreiras técnicas vão sendo quebradas.

    • CorsoThrash says:

      Caraca, nego meteu o resumo da tese dele ae euheuheuheu…massa, depois eu leio!

    • CorsoThrash says:

      Porram, perfeita a tua opinião cara.

      Cabe salientar dois pontos:

      1 – "Os indies inovam mais", verdade mesmo lembrem do MineCraft, imagina se o Not lá, chegasse pra Blizzard e dissesse "Bah, to com um jogo boladão aqui, de cubos e pá".

      2 – "a ideia em uma empresa grande não se propaga", outra verdade, trabalho numa empresa pequena de desenvolvimento web e se tiver uma ideia, seja qual for, posso dar 4 passos, chegar na mesa do meu boss e falar pra ele, simples; este é um dos motivos por, hoje, eu escolher trabalhar numa empresa que me paga menos do que o mercado: minha opinião conta muito!

      Issae, ouvintes do BFS avassalando nos mais diversos assuntos!!!

      • Não necessariamente a empresa menor paga menos! E as chances de crescer são maiores, normalmente!

        • CorsoThrash says:

          Não disse que "necessariamente" paga, mas no meu caso paga, porém tem razão sobre o crescimento, tanto em área quanto em conhecimento, fora o fato de que quanto menor a empresa mais horizontal é a hierarquia.

  5. […] = "7";bb_format = "bbc"; Escrevi esse pequeno texto como um comentário sobre o podcast eu gosto de jogos, e decidi postar aqui como uma forma de guardar o texto pra posteridade. Evolução dos jogos – […]

  6. Uou!O Podcast estava excelente,o texto sobre a Evolução dos jogos como comentário,realmente é muito bom.Porém concordo com a opinião sobre a indústria estar caindo numa trap(Link do texto).

  7. Alguém pelo amor de Deus pode me explicar qual a evolução ou melhor qual a mistica fantastica em volta de Zelda?

    Putz… Vim ter nintendo depois de adulto e nunca gostei de Mario ou Zelda, só no Wii q me interessei por Mario Galaxy porquevi evolução, mas Zelda??? q chatisse…!!!

  8. Hannya says:

    que vacilo, me usaram sem pedir direito de voz

  9. Licantropo Filantrop says:

    Concordo penamente quanto ao resindet antigo, eles usavam a dificuldade de controlar e interagir era porque era tudo que eles podiam.

    Resident com a JOGABILIDADE de RE4 é massa, meu problema é que eu gosto de RE pelo medom se eu quiser sair atirando eu pego um gears of war da vida e me divirto muito mais.

    O Ilapso tem toda rasão, pra nós game adict é diferente de jogadores novos e eu mesmo, houveram jogos que me chamaram pelo grafico, não me impede de jogar, mas me chama.

    Cara, num é por nada não, mas quando eu olho pra uma tela full HD a imagem fica estranha, salta na tela.

    Quanto ao estilo dos RPGs de turno ou não, não tem isso de "melhor", é gosto cara. Meu cunhado ama rpg turn based, eu ja adoro os mass effect.

    TUDO DO BASEBALL é melhor que futebol, mas porque futebol é AQUELA MEEEEEEERDA! Até peteca e porrinha é melhor que futebol. kkkkkkkk

    Já eu por outro lado eu adoro comprar o motor, trocar o jogo de pneus, suspensão etc…

  10. Dantarez says:

    maravilha de episódio esse ein
    Vocês foram todos muito bem e a discussão foi ótima
    claro que ainda não foi melhor que o de imersão, mas foi muito bom hohoho

    agora anotei algumas coisas que gostaria de fazer leves considerações a respeito:

    O que o Mestre Splinter falou sobre a física/realismo que eles vem (tentando) colocando nos jogos tá foda mesmo
    Eu sei exatamente do que ele ta falando, eles sempre querem deixar o negócio com um ar de ''ah, tem que acontecer coisas que acontecem na vida real'', mas aquilo não é a vida real, é um jogo, e aí sei lá, eles programam coisas com uma porcentagem alta de chance de acontecer quando na realidade não é bem assim, fora as trombadas, tropeços e por aí a fora; são coisas que deixam o jogo todo ''bugado'' digamos
    e enxe o saco pra kraio

    e porra, o Solid é muito foda velho
    o cara tá aí sempre fazendo umas observações muito boas
    e velho, Bushido Blade é O MELHOR JOGO DE LUTA DE TODOS OS TEMPOS (mamílos)
    é muito foda
    Simplesmente Não Tem outro jogo como ele, com essa mecânica que é tão única e tão diferente de tudo que se viu e se ve por aí
    quantas vezes não ia jogar com uns amigos meus e porra, já tinham 99 vitórias pra cada lado e a gente ainda continuava por mais horas e horas, e esse jogo era incrível pq acabava proporcionando um tamanho realismo que você simplesmente não ve em jogos de luta
    porra, direto acontecia de começar a luta e os dois ficarem parados
    simplesmente parados
    no máximo andando em círculos se encarando, tipo coisa de Samurai X mesmo, sentir o instinto assassino do inimigo
    pq realmente um golpe era tudo que bastava pra definir a luta
    fora os golpes únicos pra cada arma, a questão do alcançe e tal
    jogar areia no olho.. porra Foda demais esse jogo

    e quanto a questão do japão em relação mercado
    realmente é o que falaram, o peso que ele tem tá caindo bastante e isso é uma fase natural Eu diria, e os japoneses realmente sempre tiveram essa questão da profundidade de história, de -conteúdo-, eles querem agregar significado aos jogos que fazem e a galera hoje em dia quer ver mais sentimento, as pessoas cada vez mais (acho) querem e gostam de se comover diante de um jogo, sentir as emoções que são passadas na pele, como quando se vê um filme ou anime etc, e querem Fazer parte da história, por isso esses jogos com a NARRATIVA EMERGENTE tão fazendo cada vez mais sucesso.. Mass Effect mesmo é porra, maravilhoso (fora o final do 3 que foi… bom..)
    E aliás, O Ninja Inimigo disse que a jogabilidade do 1 era a melhor entre os 3, mas porra, do que se ta falando? no sentido geral? na proposta do jogo em si, de ter uma construção maior do perssonagem, mais aspectos de RPG e tal, ou da mecânica bruta? pq se for esta, a do 3 é muito foda velho, viajo DEMAIs jogando o multiplayer aqui até agora, apesar de ser uma coisa meio igual, só o que muda mesmo no personagem são os poderes, mas porra a jogabilidade tá muito fluida e gostosa de jogar
    e aproveitando isso, a minha (e de todo mundo acho) MAIOR DECEPÇÃO EVER com Diablo 3 foi justamente esse aspecto de ''ja dar o negócio mastigado'', e você não ter poder de criação/modificação/Personalização
    que era justamente A BOA do Diblo 2 né, onde cada personagem era único e cada build era única, e não tinha essa de melhor ou pior, cada um fazia a sua pra jogar do jeito que quisesse e já era.. D3 pra Mim ficou MUITO MENOS interessante por isso… mas ainda assim é um jogo legal
    e porra acho que é isso
    falaram aí de espaço físico no japão né, mas isso lá realmente é uma questão forte, tanto que você vê os reflexos nas coisas que eles criam aí de forma geral; essa é uma preocupação muito forte deles mesmo

    bom é isso aí galera
    maravilha esse episódio
    bjo pra vcs

Deixe seu recado

Powered by WordPress | Designed by: Free MMORPG Games | Thanks to Browser Games, Game Music and RPG Reviews


Konami Easter Egg by Adrian3.com



Konami Easter Egg by Adrian3.com